quarta-feira, 27 de julho de 2011

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO!

A ciência exata nos remete ao poder da "precisão" em tudo que pensamos, falamos e agimos. As demais áreas do conhecimento sempre deixam "brecha" para que façamos nossa parte e tiremos as nossas conclusões, do que supomos que seja certo ou errado.
Em nenhuma outra ciência há espaço para tantos "entendimentos" do que realmente é verdade, como na política. Ela é, efetivamente, um veículo flexível do ser humano. Seria demagogia de minha parte não reconhecer isso, embora seja também político.

E ser político é uma missão universal, que tem a ver com todos nós, independente de razão social. Somos políticos por natureza e fazemos da política um exercício primoroso de servir a coletividade.

O povo é sábio e como tal, não queiramos fazê-lo de besta, ignorante. Acompanhando os últimos acontecimentos políticos observo que alguns políticos têm esquecido de lembrar que o povo não esquece, principalmente às vésperas de uma eleição, o que foi dito ontem ou hà bem pouco tempo.

Não adianta querer disfarçar, é visível como as pessoas percebem as contradições políticas. Aqueles que pensarem enganar o povo, enganam-no, porque todos sabemos exatamente aonde queremos chegar. Se alguém antes não prestava e roubava, não é a minha conclusão que vai apagar o mal feito; Por outro lado, se eu via o outro como satanás, demônio ou mal feitor, não é possível que do dia para noite ele tenha se transformado no Deus, que está no céu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário