sexta-feira, 11 de novembro de 2011

JANDUÍS: TERRA DA CULTURA E DO ESPORTE!

O título desta postagem me reporta a um tempo não muito distante. Apesar de estar na fase dos "meus vinte e poucos anos", lembro com muito carinho, mas com muita tristeza também o fértil passado da poesia e do teatro, do vôlei, do futsal e da "pelada".

Há dez anos vivi e convivi com uma geração de garotos que se divertiam e amavam fazer teatro, jogar bola e estudar. Ah, quem me dera ver em Janduís um programa social e educacional no estilo do recriança! Dez anos? Ou mais de quinze anos? Não importa! O que importa é que estamos perdendo nossas origens.

Uma enorme crise social e econômica afligia as famílias janduienses, que encontravam nas oficinas ministradas no recriança uma forma de nutrir a esperança em melhores dias e matar a fome dos que tinham sede de aprender, viam na educação, no teatro e no esporte um caminho para superação de muitos obstáculos. 

Aconteceu recentemente a conferência de juventude, elaborou-se um plano de ações contemplando os anseios dos nossos jovens. Transporte universitário, esporte, educação de qualidade, segurança pública e emprego, foram os temas mais abordados.

Dois meses depois...Nada saiu do papel, aliás, nem os jovens eleitos na conferência municipal participaram da estadual. Nossa cidade ficou sem representação em nível estadual e nacional. No evento,  foi dito que o Poder Executivo daria as condições de deslocamento. O que houve não sei, o que sei é que eles não foram a Natal.

No esporte, os jovens clamam por providência. Não existe material esportivo, o módulo está em reforma (obras paralisadas, por problemas técnicos), os campos de futebol, da cidade e da zona rural, estão desertificados. Os times não têm bola, redes, uniformes para jogar. Que saudade dos treinos, das caminhadas da Ciranduís e de ver brilhar no Estádio Módulo Esportivo a nossa gloriosa ACDJ!

Triste realidade, situação infeliz porque passa nossa população infanto juvenil. Em cada canto um pranto, em cada recanto um desencanto, e em cada jovem o clamor por melhores tempos. A jovem Samillys Valeska disse à tribuna da câmara: "Sou uma janduiense forte, sonho com uma cidade mais viva, alegre, em que eu possar perceber os ares da democracia e de um povo feliz".

O jovem blogueiro Enock Douglas, em nome dos acadêmicos, cobra uma resposta do poder público a um requerimento que apresentei solicitando bolsa de estudos para os estudantes carentes. Uma senhora de idade (ainda não aposentada) me encontra na rua e pergunta o que fazer para pagar o IPTU dela que está atrasado, não pode pagar e está sob ameaça de ver tomarem seu teto, sob o qual cria seus filhos...

...É por isso que continuo sendo A Voz de Janduís na câmara, para defender os direitos daqueles que me elegeram para representá-los e poder fazer justiça social aos que mais precisam. Isso também é seguir a Cristo e dar aos meus irmãos janduienses o que lhes é de direito.

Um comentário:

  1. Caro Vereador Josenildo Moraes, ainda que falem que sou cumplicie em postar qualquer expressão. Quero dizer que é por crer que ainda temos em Janduís representantes do povo, que luta pelo povo, trabalha para o povo, assume e cumpre compromisso com o povo, levanta a bandeira do povo e, acima de tudo acredita e aposta no desenvolvimento e crescimento do POVO DE JANDUÍS, que acredito um dia ter as nossas raízes e lembranças da nossa infância não muito longe, de volta. E assim como você e meus diversos amigos, poder um dia sentar naquela velha praça e declamar poesia, sonetos, canções, dança, teatro e até futebol, com a conquista que tudo isso irá voltar a existir novamente, para falar aos futuros jovens, as nossas crianças de hoje, o quanto na nossa infância tivemos apoio e estímulos para nos encontrar no teatro, na dança, nos livros e na capoeira, pois foi com esta cultura que adquirimos visão holística. Isso sim é ter sonho, é ter esperança, inteligência e fé de pensar apesar dos pesares e dos obstáculos.

    ResponderExcluir