terça-feira, 29 de novembro de 2016

Tragédia na Colômbia: Morre time da Chapecoense

O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29), informam autoridades colombianas. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.
Entre os sobreviventes há 3 jogadores, 2 tripulantes e 1 jornalista, apenas. Infelizmente já são 76 mortos na tragédia, segundo as autoridades competentes, da polícia colombiana. A aeronave com o time catarinense perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília) e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.
Os jogadores da equipe de Santa Catarina são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.
Dentre esses sobreviventes estão o lateral Alan Ruschel, que chegou a unidade de saúde consciente, mas em choque, e os goleiros Danilo e Follmann. Um jornalista também foi resgatado com vida. O Corpo de Bombeiros local, por sua vez, continua as buscas, com a esperança de resgatar pessoas ainda com vida.

O Comitê de Operação de Emergência (COE) e a gerência do aeroporto informaram que a aeronave se declarou em emergência por falha técnica às 22h (local) entre Ceja e Lá Unión. Anteriormente, a imprensa colombiana informou possível falta de combustível como causa do acidente. O prefeito falou posteriormente em cinco resgatados. Dentre esses sobreviventes estão o lateral Alan Ruschel, que chegou a unidade de saúde consciente, mas em choque, e os goleiros Danilo e Follmann.

Tendo em vista o ocorrido, o prefeito municipal de Chapecó, Santa Catarina, declarou 30 dias de luto e cancelou as festividades de fim de ano que iriam acontecer na cidade; já o presidente da república, Michel Temer, decretou 3 dias de luto oficial em todo Brasil.

A equipe chapecoense estava vivendo o principal momento de sua carreira no esporte, disputando uma competição a nível mundial. Na disputa pelo primeiro lugar na Copa Sulamericana de futebol, ela iria enfrentar o Atlético Nacional da Colômbia que após o ocorrido enviou correspondência ao órgao competente pedindo que fosse a Associação Chapecoense de Futebol declarada campeã do ano de 2016, numa justa homenagem aos atletas que faleceram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário